Jun 20
Cabine de Projeção por Paola Carvalho - Jennifer Aniston e Adam Sandler batem recordes na Netflix


Senhoras e senhores, bem-vindos ao mundo mágico do Cinema!

Olá, pessoal! A Cabine de Projeção traz novidades sobre as estréias da semana, dicas de filmes nacionais em alusão ao Dia do Cinema Brasileiro e novidades da Netflix.

Acompanhe as notícias também nas nossas redes sociais no Facebook e Instagram através da @cabinedeprojecao ou entre em contato pelo endereço cabinedeprojecao@folhabv.com. Sem esquecer do nosso parceiro Geziel Ribeiro que traz as novidades do mundo das séries e do cinema toda quarta-feira na FolhaBV Play!

É isso! Caso eu não os veja mais: bom dia, boa tarde e boa noite!

Dicas para celebrar o Dia Nacional do Cinema Brasileiro

Quem gosta de cinema com certeza já ouviu falar de "Cidadão Kane" ou decorou o nome do cineasta japonês Akira Kurosawa, realizador de os "Sete Samurais"? Filmes clássicos que está no repertório de qualquer cinéfilo que se garanta. Mas e filmes como "O Pagador de Promessas", de Anselmo Duarte? Esse título, assim como muitos nacionais, é  uma obra reconhecidas mundialmente e acabam sendo deixadas de lado por muitos dos amantes de cinema de carteirinha, simplesmente por ser uma obra nacional.  Por isso, a Cabine de Projeção aproveita a passagem do Dia do Cinema Brasileiro no dia 19 de Junho para falar sobre filmes feitos no nosso país.

 

O primeiro é "O Pagador de Promessas", de Anselmo Duarte. Filme de 1962 conseguiu a Palma de Ouro do Festival de Cannes na França e é baseada em uma peça teatral do dramaturgo Dias Gomes. Conta a história de Zé do Burro (Leonardo Villar), um homem humilde que tenta cumprir uma promessa de carregar uma pesada cruz de madeira e adentrar uma igreja em Salvador, na Bahia. 

 

“Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha, é um filme brasileiro de 1964 e conta a história de um casal no sertão nordestino, que parte para a cidade em busca de uma vida melhor e acabam encontrando várias dificuldades.

 

“Central do Brasil”, de 1998, é mais conhecido do público brasileiro por conta da indicação ao Oscar de Melhor Atriz por Fernanda Montenegro (que deveria ter levado o prêmio). O filme, de Walter Salles, conta a história de de Dora (Fernanda), uma professora aposentada que tenta ajudar Josué (Vinícius de Oliveira), um garoto a conhecer sua família no interior do Nordeste.